fechar menu 

Seychelles: O melhor destino para Lua de Mel?

 
 

As semanas que antecedem o casamento são semanas agitadas e o dia de casamento embora voe, é um dia em que somos arrebatados por emoções fortíssimas e muitas surpresas. No dia de casamento tal como sempre, fomos um do outro, partilhamos as mesmas emoções e vivemos juntos todos os sorrisos e lágrimas de alegria. No entanto, a intensidade do dia não nos permite percepcionar tudo o que acontece, e foi na lua-de-mel que fomos revisando todo o dia e partilhando cada pormenor, às vezes que um dos dois nem sabia ter acontecido.

A lua-de-mel para nós foi um tempo de fazer balanço e tomar balanço para a nova aventura das nossas vidas. Hoje, quando pensamos nas Seychelles, maravilhoso paraíso onde passamos parte da nossa lua-de-mel (daqui seguimos para a África do Sul), vêm à cabeça as cores mais eletrizantes e as memórias de dias muito felizes. Quando decidimos visitar as 3 principais ilhas (Mahé, La Digue e Praslin), estávamos em busca não apenas de praias idílicas, mas também das paisagens extraordinárias que os livros já nos tinham mostrado. Agora queríamos vivê-las.

 
 
 
 

Em La Digue o sol refletia nas areias brancas e finas, a água azul turquesa e as florestas verdes tornam realidade o sonho de estar num verdadeiro paraíso tropical. Fizemos dos mais bonitos passeios de bicicleta onde pacificamente convivemos com os locais que tão bem nos receberam, percorremos a ilha, alimentamos tartarugas centenárias e disfrutamos de românticos e deliciosos almoços de mar na praia mais paradisíaca do mundo, a Anse Source d´Argent. Aqui vimos abraçados um pôr-do-sol maravilhoso. La Digue é encantadora, um lugar de beleza ímpar e de uma paz sem fim. Para namorar e usufruir da melhor companhia nós estávamos no lugar ideal.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Em Praslin além da praia que também aproveitamos, fizemos um passeio pelo Vallée de Mai, o lugar onde muitos afirmam ter sido o Jardim do Éden. Aqui vimos o Coco de Mer, a maior semente do mundo com forma de coxas humanas, que só existe nas Seychelles. Vimos aves exóticas como o Black Parrot, répteis com cores fluorescentes e à sombra das altas árvores, algumas delas com muitas centenas de anos, fizemos uma agradável aventura por longas horas naquele paraíso originalmente mantido.

 
 
 
 
 
 

As Seychelles convidam mesmo ao “island hopping”, num dos dias seguimos num barco privado a caminho das Ilha Felicite e Cocos para fazer snorkelling. Tivemos uma surpresa enorme, felizmente a experiência era já conhecida, pois já havíamos tido a oportunidade de a ter no México e nas Maldivas, mas avançar pelas águas azul-turquesa e poder entrar naquele mar quente e límpido devolveu-nos a sensação de ansiedade de uma primeira vez. Claro que o que vimos quando entramos no mar em locais tão distantes é sempre diferente e igualmente encantador. Aqui pudemos ver corais, peixes com cores exóticas, camuflagens únicas e juntos, sempre juntos explorámos respeitosamente o que de mais belo a natureza pode oferecer.

 
 
 
 
 
 
 
 

Estar nas Seychelles foi uma alegria para nós, na nossa 1ª viagem como marido e mulher, fomos abençoados com dias de sol e oportunidades únicas. Tomamos todo o balanço possível e reestabelecemos as nossas energias. Hoje guardamos alguma vontade num lugar especial dos nossos corações, de voltar a um dos lugares exóticos mais bonito do mundo.

 
 

honeymooners, Seychelles 05/2016

Publicações relacionadas

1 Comentários

    Varadero: O Orgulho de Cuba - Honeymooners

    […] de já termos feito snorkeling em vários lugares (Maldivas, Seychelles, México…), acho que esta é uma atividade que nos fascina e que vamos querer sempre repetir. […]

Segue-nos!

Não percas nenhuma aventura dos honeymooners: